Cultura de Inovação aplicada a todos os negócios 

Para começar, é importante lembrar de uma frase de Murilo Gun, um dos destaques da inovação em nosso mercado, onde ele diz que: “Inovação é a criatividade que gera faturamento para a empresa”, desta forma, é certo afirmar que a implantação da Cultura de Inovação nas empresas tem objetivos claros e concretos, distanciando da ideia de que a inovação é algo intangível ou abstrato.  

Principalmente nos momentos de extrema mudança pelos quais estamos passando, onde os consumidores e o mercado mudam de maneira nunca vista., interpretar estas mudanças são fatores que divide empresas e profissionais que irão prosperar ou passar por extremas dificuldades.  

Você pode chamá-lo de Consumidor 4.0 (tema de uma das palestras online realizadas pela Fortics com Arthur Igreja, um dos grandes nomes da inovação no Brasil), superconsumidor, consumidor digital etc., o que importa é entender que ele apresenta novas demandas e novos comportamentos de compra e que, somente quando profissionais e suas empresas se aproximarem dos conceitos da Cultura de Inovação, será possível atender esses novos consumidores da forma que eles querem. Quem chegar primeiro, terá mais sucesso! 

Cultura Organizacional e Cultura de Inovação  

Muitos afirmam que somente empresas jovens ou Startups podem implantar a Cultura de Inovação e isso é um grande erro. Como dito por Marcelo Negrão em um dos últimos webinars realizados com a Fortics, “a Macy´s, uma das empresas de varejo mais antigas dos Estados Unidos, acaba de implantar um sistema de atendimento que une suas lojas, seu site e, suas redes sociais com mensagens instantâneas (Facebook Messenger, por exemplo), oferecendo uma experiência única para seus clientes”. É dado a isso o nome de Atendimento Omnichannel 

No Brasil, é possível encontrar exemplos como do Magazine Luiza, que há anos integra suas lojas físicas (showroomingcom suas lojas virtuais (webrooming), aumentando consideravelmente seu acesso e volume de compra. Em um dos seus últimos livros “Marketing 4.0: Do Tradicional ao Digital”, Philip Kotler afirma que empresas que criam interações online e offline para seus consumidores, aumentam em até oito vezes o seu valor para eles, atraindo muito mais clientes. 

Então, somente empresas de grande porte podem implantar a inovaçãoEsta é mais uma colocação equivocada. Vemos a todo momento empresas de pequeno porte que usam sua velocidade de mudanças para implantar inovações importantes para seu mercado. Por conta das mudanças de consumo provocadas pelo isolamento pelo qual estamos passando, quantas empresas pequenas mudaram seus serviços, seus produtos e, principalmente, sua forma de atendimento aos seus clientes, incluindo meios digitais para isso? Importante ler o livro Conveniência é o Nome do Negócio” de Arthur Igreja, pois, está repleto de exemplos de inovação realizados por empresas de menor porte. 

Visto isso, o mais importante é que empresas assumam a inovação como questão central em sua Cultura Organizacional. O incentivo à inovação deve ser abraçado por empresários, seus conselhos e suas diretorias, pois, somente quando as empresas realizam grandes incentivos começando “por cima”, os projetos de inovação acontecerão de forma consistente, trazendo resultados importantes para essas empresas.

5 fatores para a Cultura de Inovação 

A implantação da Cultura de Inovação precisa muito mais que fórmulas mágicas ou processos simples para acontecer. Mas, algumas características e movimentos são identificados em todas as empresas que conseguem atingir bons resultados: 

  • Foco extremo no consumidor – O valor a ser entregue pela inovação somente se realizará se o seu consumidor identificar a sua importância, assim, toda inovação parte do ponto do conhecimento profundo do seu consumidor e foco completo em suas demandas. Não existe espaço para “achologias” na inovação, dessa maneira, o contato constante com os consumidores e a formação de uma completa jornada que o acompanhe, faz parte da implantação da Cultura de Inovação; 
  • Experimentação como hábito – Uma frase importante impacta os processos de inovação: “Se nasceu perfeito, nasceu tarde”. Isso não quer dizer que na inovação tudo deva ser feito de forma amadora ou pouco cuidadosa, mas se você e sua empresa pensar que somente quando tudo estiver perfeito deva ser colocado no mercado, um tempo valioso será perdido. Se o valor da inovação é identificado pelo cliente, ele deve ter contato quanto antes com sua inovação para validá-la. Para isso, estude sobre MVP (Mínimo Produto Viável); 
  • Números apresentando resultados – A demonstração de resultados é fundamental para compreender se os seus experimentos (ou testes) estão sendo bem sucedidos. Criar uma cultura de geração de métricas e metas é parte importante da implantação da Cultura de Inovação. Para isso, reunir dados sobre o que é feito na inovação se torna uma atividade crucial, que deve ter a participação de todos do processo, pois transferir em números o comportamento e medição de resultados de uma experimentação é tarefa das mais complexas; 
  • Ouvir a todos em sua empresa – A inovação pode chegar de todos os lados, então, ouvir a todos na empresa, desde os colegas de cargos mais simples até os diretores da empresa, é outro fator de sucesso para a implantação da Cultura de Inovação. Essa questão não é nova, pois conceitos de inovação industrial já davam importância para isso desde meados do século passado, mas como afirmado em literaturas importantes como “Lean Startup” de Eric Ries, todos os colaboradores de uma empresa podem ter a origem de uma inovação que transformarão os seus negócios; 
  • Importância de uma liderança inovadora – Por último, porém MAIS IMPORTANTE, estabelecer uma liderança que conheça, goste e incentive a inovação é o maior fator de sucesso para a implantação da Cultura de Inovação nas empresas. Assim, é necessário que empresários e CEOs identifiquem quais são os líderes que estão dispostos a investir tempo, suor e outros recursos na inovação. Necessário também identificar os “Inimigos na Inovação” como diz o autor e palestrante Marcos Batista, pois eles estão à espreita em todos os lugares e podem minar os esforços de uma empresa inteira rumo ao sucesso que a inovação pode proporcionar. 

Venha participar deste webinar conosco! 

Agendamos para 13 de maio de 2020 um importante webinar sobre a Cultura de Inovação. Caso você esteja lendo esse artigo antes dessa data, clique aqui para se inscrever. Caso a realização desse webinar já tenha acontecido, se inscreva da mesma forma, para receber os links das gravações. 

Hugo Santos

Hugo Santos é Head de Marketing da Fortics, palestrante, professor e fundador da Palestras & Conteúdo. Atuando em Vendas, Marketing desde 1996. Graduado em Marketing. Especialista em Inbound Marketing e Vendas Consultivas. Professor de MBA pelo Instituto de Mauá de Tecnologia em Estratégias de Vendas e Marketing para o curso Creative Design Business (Inovação e Startups). Professor de MBA pelo IEL/FIEA em Transformação Digital e Sociedade em Rede para o curso Gestão de Mudanças. Mentor de negócios desde 2008 e mentor de Startups pela InovAtiva Brasil, Aceleradora de Startups do Governo Federal. Desde 2014 ministrou mais de 180 palestras e cursos sobre Vendas Consultivas, Marketing Digital, Comunicação Humana nos Negócios, Liderança em eventos como Social Media Week, RD Summit e Meetings de negócios em Federações das Indústrias, CEBRASSE (Central do Setor de Serviços) e outras Entidades de grande porte. Acesse Hugo Santos por:

Instagram @hugopalestrando

Linkedin /in/hugosantoss1976/

Nós ligamos para você!

Nós ligamos para você!

Fale grátis com um especialista, preencha:

Por favor aguarde o contato!